Tamandaré Web 100% Jesus

Portal de notícias da Rádio Tamandaré

Recife ganha mais quatro Patrimônios Vivos

Criado no ano passado, o Registro de Patrimônio Vivo Municipal já homenageou a passista Zenaide Bezerra, as agremiações Gigante do Samba e Pierrot de São José, e o Mestre Teté, do Maracatu Almirante do Forte

Há 165 dias — Por Portal Tamandaré Web

Prefeitura do Recife anuncia mais quatro Patrimônios Vivos
Foto: Marlon Diego/PCR

Após uma celebração emocionante e cheia de cultura no Teatro Apolo, a capital pernambucana tem agora mais quatro Patrimônios Vivos selecionados a partir de um processo democrático entre a Secretaria de Cultura e a Fundação de Cultura do Recife. São eles: o porta-estandarte José Fernando Alves Zacarias, a Associação Cultural e Quadrilha Junina Origem Nordestina, a parteira Edileusa Maria da Silva e a Tribo de Caboclinhos Tupi.

A homenagem em vida aos novos Patrimônios recifenses fez a Prefeita em Exercício, Isabella de Roldão, se emocionar. "Parabenizo a Secretaria de Cultura, a Fundação de Cultura e o Prefeito João Campos por esse momento histórico vivido por nossa cidade. Essa é a garantia de que nossa cultura permanecerá viva." Para a parteira Edileusa, "esse reconhecimento é de todas as parteiras que estão aí. Há 14 anos, recebi a comanda de Pérola Negra de Recife. Hoje, receber mais essa homenagem é muito importante. Para mim e para essa sabedoria tão antiga, que não pode morrer.”



Já para o Secretário de Cultura do Recife, Ricardo Mello, é necessário garantir o direito de viver da cultura. "Todos esses que celebramos hoje representam nossas raízes mais profundas. São eles que nos asseguram história, memória, sombra e fruto", afirma.


Criado no ano passado, o Registro de Patrimônio Vivo Municipal já homenageou a passista Zenaide Bezerra, as agremiações Gigante do Samba e Pierrot de São José, e o Mestre Teté, do Maracatu Almirante do Forte. "É nessas horas que a gente vê como o Recife é rico e como pulsa a nossa cultura. É uma força que vem das ruas, de muitas gerações. Enchemos esse teatro hoje de legitimidade e emoção. O registro de Patrimônio Vivo é uma política pública fundamental, de proteção ao que somos, mas também de projeção para o futuro do que queremos ser", complementa Marcelo Canuto, presidente da Fundação de Cultura do Recife.

Na edição deste ano, serão garantidas bolsas de incentivo mensais entre R$ 1.921,06 e R$ 2.561,41 para os contemplados. Os valores têm caráter vitalício.