Tamandaré Web 100% Jesus

Portal de notícias da Rádio Tamandaré

Três suspeitos de atacar ônibus do Fortaleza são presos em Operação da Polícia Civil de Pernambuco

Desencadeada na madrugada de hoje (15), a Operação Holligans cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão. Até o momento três suspeitos foram presos. Mais ações seguem em execução

Há 28 dias — Por Portal Tamandaré Web

Realizada pela Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva (DEPRIE), ligada ao Comando de Operações e Recursos Especiais (CORE), da PCPE, a ação é a 12º Operação de Repressão Qualificada (ORQ) da Polícia Civil este ano. Presidida pelo titular da DEPRIE, o delegado Raul Carvalho, a operação foi iniciada em fevereiro, logo após o fato, com o objetivo de identificar e desarticular grupos responsáveis pelos crimes de Associação Criminosa, Tentativa de Homicídio, Provocação de Tumulto e Dano ao Patrimônio.
Foto: Djair Pedro - Cicom/SDS

Realizada pela Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva (DEPRIE), ligada ao Comando de Operações e Recursos Especiais (CORE), da PCPE, a ação é a 12º Operação de Repressão Qualificada (ORQ) da Polícia Civil este ano. Presidida pelo titular da DEPRIE, o delegado Raul Carvalho, a operação foi iniciada em fevereiro, logo após o fato, com o objetivo de identificar e desarticular grupos responsáveis pelos crimes de Associação Criminosa, Tentativa de Homicídio, Provocação de Tumulto e Dano ao Patrimônio.

Na ação de hoje foram cumpridos sete Mandados de Prisão e sete Mandados de Busca e Apreensão Domiciliar, todos expedidos pela Comarca de Jaboatão dos Guararapes. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco – DINTEL e contou com a participação de 60 Policiais Civis, entre delegados, agentes e escrivães. Entre os detalhes das investigações, está a localização dos suspeitos e a identificação de organizações ligadas ao crime.

As investigações também levaram à elucidação do modo de atuação desses grupos. "Concluímos que toda a ação foi premeditada, e nesse momento estamos fazendo a individualização das condutas, qual o papel de cada participante na ação criminosa", explicou o delegado Raul Carvalho. Ele também ressaltou que "a resposta ao crime acontece 22 dias depois do ocorrido, e mostra que os crimes praticados relacionados à segurança esportiva não vão ficar impunes", disse Carvalho.

"Nesta primeira fase da operação, a intenção foi de coletar mais informações acerca do ocorrido para podermos esclarecer todas as circunstancias do caso e responsabilizar todos os envolvidos. E a partir de agora fazermos um combate mais próximo, mais intenso dessas práticas criminosas no âmbito esportivo, no nosso Estado", esclareceu o delegado-geral da Polícia Civil, Renato Rocha.

Relembre - O fato aconteceu na madrugada do dia 22/02, quando o ônibus que transportava a delegação do clube do Fortaleza foi atacado por integrantes de uma torcida organizada, na BR-101, em frente do Atacado dos Presentes, bairro do Curado. No ataque, foi arremessada uma bomba caseira e diversas pedras que vitimaram seis atletas do clube cearense.