Tamandaré Web 100% Jesus

Portal de notícias da Rádio Tamandaré

Tutora denuncia morte de mais de 30 gatos, em Ipojuca

Os corpos dos felinos foram encontrados em diferentes pontos da comunidade do Alto da Compesa, distrito de Camela.

Há 189 dias — Por Pedraugusto Rodrigues

Tutora denuncia morte de 30 gatos, em Ipojuca
Crime é previsto em Lei Federal de maus-tratos de cães e gatos— Foto: Frame de Vídeo/Ipojucacabo

Uma moradora do município de Ipojuca utilizou as redes sociais, na tarde desta sexta-feira (12), para denunciar a morte de mais de 30 gatos ocorrida na comunidade do Alto da Compesa, no distrito de Camela.

No vídeo, postado pela página @Ipojucacabo, a tutora identificada como Jaqueline, conta que os gatos apareceram mortos em vários pontos da localidade e que ela própria recolheu os corpos dos felinos "vieram aqui e mataram meus gatos. Hoje de manhã, quando acordei, me deparei com a falta dos meus gatos, sai procurando e encontrei três mortos".

Jaqueline diz que cria cerca de 40 gatos, resgatados em situação de rua, e que todos os felinos que cuida teve algum histórico de doença "tirei todos da rua, debilitados e doentes". E que, além desses gatos resgatados, ela ainda alimenta outros animais do bairro.

A tutura pede justiça e que as autoridades ajudem ela a identificar quem fez essa crueldade "Eu queria que vocês ativistas me ajudassem sobre essa matança que teve aqui na minha casa e divulguem para que as autoridades façam alguma coisa. Um monstro que coloca veneno para meus gatos, eu quero só justiça" desabafou.

De acordo com a presidente da Comissão de Direito Animal da OAB/PE, Anaís Araújo, o autor incorreu em crime de maus-tratos, tipificado pela Lei de Crimes ambiental, no art. 32, parágrafo 1, já que trata-se de gato, o qual a pessoa pode ter uma pena de 2 a 5 anos.

Anaís Araújo disse ainda que vai oficiar a Prefeitura de Ipojuca, bem como, orientar para que a denúncia seja feita ao DEPOMA para identificar quem promoveu tal crime.

A presidente da Comissão de Direito Animal salientou ainda que nesses casos o tutor deve encaminhar o corpo do animal à Delegacia do Meio-Ambiente (DEPOMA) para que seja realizado a necrópsia.